Tradução da Declaração do Reino do Bahrein





Tivemos a honra de traduzir a Declaração do Reino do Bahrein, que pede tolerância religiosa e o respeito à diversidade em nível mundial, para o seu lançamento no Brasil e na América do Sul em dezembro do ano passado. Além da declaração em si, traduzimos alguns outros materiais para o lançamento. A importante e necessária mensagem bareinita é acompanhada de ações concretas promovidas pelo Centro Rei Hamad. Bolsas de estudo e aplicativos que ajudam adultos e crianças a tornarem suas comunidades mais tolerantes e abertas são exemplos dessas ações.


Para os que desejam ver o conteúdo da declaração, a Embaixada do Bahrein em Brasília nos autorizou a publicar a sua tradução para o português aqui:


Declaração do Reino do Bahrein

Por Sua Majestade, o Rei Hamad Bin Isa Al-Khalifa - Rei do Reino do Bahrein

Traduzido por Jamila M. Jacob

“A Ignorância é a Inimiga da Paz Logo, é nosso dever aprender a compartilhar e a vivermos juntos pelos Princípios da Fé em espírito de amor e respeito mútuo ”

- Sua Majestade, o Rei Hamad bin Isa Al-Khalifa - Rei do Reino do Bahrain

“Há centenas de anos que diferentes grupos religiosos convivem lado a lado em harmonia no Reino do Bahrein praticando plenamente os princípios de suas respectivas religiões em abençoada coexistência pacífica Humildemente oferecemos o secular tradicional estilo de vida bareinita como exemplo a fm de inspirar os outros. ” 1 ) FÉ E EXPRESSÃO RELIGIOSAS Celebramos o fato da religião ser uma das maiores forças do bem em nosso mundo e inspirar as pessoas a dividirem esse bem com seus semelhantes. A comunidade internacional reconhece que a fé e a expressão religiosas são um direito básico e inalienável. No entanto, agora, como em certos momentos do passado, a religião é frequentemente usada como sanção divina para espalhar o ódio e a discórdia. Em vez de ajudar as pessoas a superarem crises, a religião é usada para contribuir com crises e até mesmo criá-las.Começamos a lidar com essa negatividade ao aprender a diferenciar entre ensinamentos e atividades religiosos saudáveis e não saudáveis. Constatamos que ela só pode ser neutralizada por meio do Diálogo Inter-Religioso e da partilha de conhecimento gerando positividade por meio do esclarecimento e da compreensão. 1|A) Declaramos que quando clérigos extremistas pregam o ódio e a violência e buscam plantar as sementes da discórdia, eles incitam a Profanação do nome de Deus 2 ) LIBERDADE DE ESCOLHA Constatamos que Deus nos instruiu a exercer a Dádiva Divina da Liberdade de Escolha. Logo, declaramos que impor religião não faz com que uma pessoa desenvolva uma relação profunda com Deus. 2|A) Portanto, inequivocamente, rejeitamos a imposição de observância religiosa Ainda declaramos que todo e qualquer indivíduo tem a liberdade de praticar a sua religião desde que não faça mal aos outros, respeite as leis do país e aceite responsabilidade espiritual e material por suas escolhas choices



3.) A DETERMINAÇÃO DA VONTADE DE DEUS


Reconhecemos que as religiões podem discordar umas das outras ao interpretar a vontade de Deus, mas todas as religiões esclarecidas rejeitam invocar Seu nome para legitimar a violência contra pessoas inocentes. Isto é uma clara profanação de Seu nome, e não um cumprimento de Sua vontade.


3|A) Portanto, declaramos que qualquer ato que seja considerado moralmente repugnante pela vasta maioria da humanidade e que insulte a nossa consciência moral coletiva não pode ser parte da vontade revelada de Deus. Pedimos a todas as boas pessoas de Fé que repudiem práticas como a disseminação do terror, o incentivo ao extremismo e a radicalização, atentados suicidas, a escravidão sexual e o abuso de mulheres e crianças.



4.) DIREITOS E DEVERES RELIGIOSOS


Deus espera mais daqueles em posições de autoridade espiritual e temporal. Pessoas de todas as Religiões devem ter o direito de reunirem-se para adorar, ensinar, celebrar e praticar as prescrições de suas respectivas Religiões. Respeitar e proteger igualmente maiorias e minorias religiosas é um dever governamental. Ninguém deve ser submetido a ameaças, humilhação, incitação ou discriminação como resultado de sua fé. Aqueles que ocupam posições de autoridade devem garantir que os indivíduos que saem de suas casas para seus templos possam fazê-lo sem medo de intimidação, violência ou coisa pior. Do mesmo modo, todas as pessoas de fé e suas comunidades têm o dever de demonstrar aos seus vizinhos que o extremismo não é mais sagrado do que a moderação.


4|A) Portanto, declaramos que cada um de nós tem um papel ativo a desempenhar na criação de um ambiente totalmente inclusivo, que promova o respeito mútuo e a cooperação.



5.) A ESPERANÇA DA FÉ


Comprometemo-nos a ensinar nossos filhos e, demonstrar a eles pelo exemplo, que ao realizar atos simples de bondade e compaixão, estamos agindo sob o comando de Deus para que invoquemos o Seu Bem para o mundo. Comprometemo-nos a trabalhar por um mundo onde as pessoas de fé sincera se unam para rejeitar o que nos divide e concentrem-se em celebrar e expandir o que nos une. Assim, aproveitamos o enorme poder da fé coletiva para unir um mundo em paz, onde a religião seja uma bênção para todos e onde prevaleça o espírito abençoado de amor e respeito mútuo.


5|A) Foi nessa região que as três fés Abraâmicas surgiram. Consequentemente seus princípios fizeram desta região o lar de milhões e milhões de pessoas de todas as religiões do mundo. Assim nós, pessoas que praticam a religião, que a ensinam e que estão em posições de influência, declaramos que faremos tudo ao nosso alcance para garantir que a religiosa seja uma bênção para toda a humanidade e um alicerce para a paz mundial.


“A Fé ilumina o nosso Caminho para a Paz” - Sua Majestade, o Rei Hamad bin Isa Al-Khalifa-


FIM


Manama, Reino do Bahrein, 3 de julho de 2017.

8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo